Análise em destaque

Bússola nacional voltada pro Sul - Parte 1

Athletico Paranaense e Internacional se enfrentam no Paraná pelo 1° jogo da Final da Copa do Brasil 



Na noite dessa quarta feira (11), os olhos e ouvidos do país do futebol estarão voltados para o sul cujo embate pelo título reúne dois clubes expoentes da região. De um lado, o Athletico Paranaense que vem para mais uma decisão de título após o vice em 2013. Do outro, o Sport Club Internacional retornando para mais uma decisão do torneio após o vice em 2009. Um tenta o título inédito, enquanto o outro busca dar fim ao jejum de 27 anos. 

A bola rola às 21:30 na Arena da Baixada com transmissão em TV aberta da Rede Globo. 

  • Escalações: 
⇒ Athletico Paranaense: Santos; Khellven, Bambu, Léo Pereira e Márcio Azevedo; Wellington, Bruno Guimarães e Léo Cittadini; Rony, Nikão e Marco Rúben. Téc: Thiago Nunes.

























⇒Internacional: Marcelo Lomba; Bruno, Moledo, Cuesta e Uendel; Lindoso, Edenílson e Patrick; Nico López, D'alessandro e Guerrero. Téc: Odair Hellmann


























  • O que esperar da partida: 
O primeiro confronto da decisão costuma ser quase sempre um jogo de muito estudo e paciência, o Athletico provavelmente tentará se impor na partida por estar jogando diante da sua torcida (e no seu gramado). A escalação de Thiago Nunes é a habitual com apenas uma mudança, a entrada do zagueiro Bambu para fazer dupla com Léo Pereira. De resto, o Cap vem com força máxima para tentar furar a forte defesa do Inter e levar a vantagem pro jogo de volta em Porto Alegre. Um dos caminhos para isso deve ser as laterais, onde a equipe deve explorar bastante o rápidíssimo Rony nas costas de Bruno. O jogo ofensivo deve ser concentrado um pouco mais por esse lado com as aproximações de Cittadini ou do Bruno Guimarães e Márcio Azevedo na tentativa de construir jogadas pelos flancos a partir das triangulações. Talvez essa seja a principal arma do time da casa para desarrumar o esquema defensivo de Odair Hellmann, abusar da amplitude e das extremidades, visto que pelo meio deve encontrar muita dificuldade com Lindoso e a primeira linha de 4 do Inter efetuando uma marcação forte no meio de campo. Subir as linhas para pressionar também pode ser uma ótima alternativa para forçar o erro do time adversário, algo que o comandante rubro-negro gosta de propor. 

Por outro lado, a equipe de Porto Alegre deve fazer um jogo parecido dos recentes confrontos fora de casa nas competições de mata-mata. Contudo, Odair deve ter finalmente aprendido com a covardia que lhe custou a vaga na semifinal da Libertadores e deve iniciar o jogo com Nico López. Dessa forma, a presença do uruguaio em campo oferece muitas alternativas ofensivas ao time, não somente na puxada de contra-ataque, mas também facilita que o Inter consiga manter a posse da bola por mais tempo. Sua movimentação abre espaço para os meias que vem de trás como elemento surpresa, além do seu ótimo entrosamento com D'alessandro e Guerrero para buscar tabelas curtas e rápidas que desmontem o setor defensivo do Athletico. O jogo do Internacional vai precisar ser veloz e organizado, sobretudo no que se refere aos avanços da dupla de zaga Moledo-Cuesta, já que os dois demonstram bastante afobação se lançando ao ataque em alguns momentos. Contra um time muito rápido como o Cap, é suicídio. O time tem bastante qualidade para usar a velocidade com inteligência para aproveitar as brechas que surgirão após a pressão inicial da equipe de Curitiba.  

Comentários