Análise em destaque

Bússola nacional voltada pro Sul - Parte 2

O que esperar do jogo de volta da final? Confira aqui o panorama completo 



  • Escalações:

Internacional: Marcelo Lomba; Bruno, Moledo, Cuesta e Uendel; Lindoso, Edenilson e Patrick; W. Silva, Nico Lopez e Guerrero. Téc: Odair Hellmann.



Athlético Paranaense: Santos; Khellven, Bambu, Léo Pereira e Márcio Azevedo; Wellington, Bruno Guimarães e Citadinni; Rony, Nikão e Marco Rúben. Téc: Tiago Nunes. 


  • Expectativa para o jogo:

Com o placar do jogo de ida na Arena da Baixada favorável ao Athlético apenas pelo placar mínimo (1x0), a expectativa pra grande decisão é a melhor possível. A torcida do Internacional projeta mais uma noite de festa no Beira Rio com o objetivo de empurrar o time rumo ao título que não vem há 27 anos. Por outro lado, a equipe Paranaense vem com a vantagem, mesmo que pouca, para decidir fora de casa. A equipe rubro negra, porém, não deve jogar com o regulamento embaixo do braço. Não faz o estilo de seu comandante ser reativo. Portanto, a partida promete ser de altíssima intensidade e bastante agradável de assistir. 

De acordo com as escalações, o Inter deve vir com mais intensidade, agressividade e velocidade, afinal, joga em casa precisando reverter o resultado. A entrada de Wellington Silva no lugar do ídolo D'alessandro, que começa no banco após sentir dores durante a semana, contribui ainda mais para a mudança de característica do time de Odair Hellmann pra partida de hoje. Dito isso, veremos uma equipe com mais fôlego pra marcação alta e pras investidas de ataque e contra-ataque. O uruguaio Nico López, mais do que nunca, será responsável por coordenar o setor criativo dos colorado. Para isso, precisará ser menos individualista ou prejudicará a sua equipe. A individualidade até pode pesar a favor do Inter por ser tecnicamente um pouco superior. Individualidade, não individualismo.

Em contrapartida, a equipe de Tiago Nunes vem com a mesma escalação do jogo de ida e espera repetir a ótima atuação. Fora de casa, o desafio será maior. Longe da grama sintética, o campo não irá proporcionar as mesmas condições da Arena da Baixada, o jogo em alta velocidade deve ser levemente prejudicado. O CAP precisa demonstrar que consegue ser um time envolvente em um campo diferente do habitual, algo pelo qual é muito questionado. A ocupação dos espaços no meio de campo com o craque Bruno Guimarães jogando entre a linhas de marcação pode ser determinante, bem como a infiltração do rápido Rony nas costas do lateral Bruno (em jogada parecida com a que eliminou o Flamengo no Maracanã). Sempre bem compacto, o furacão não deve ceder facilmente os espaços pras tabelas do Inter, além de ser esperado que o time mostre agressividade semelhante do 1° jogo com o intuito de forçar o erro na saída de bola do time da casa. 

Jogão às 21:30 em Porto Alegre! 

Comentários