Pós-Jogo: Flamengo x Palmeiras

Mais uma superação do Flamengo

Resultado: Flamengo 3x0 Palmeiras


Vermelho: Expulsão
Azul: Substituto


Flamengo que iniciou a partida

Azul: Substituto



O Flamengo nessa semana se superou, vivendo definitivamente a sua melhor fase desde o saneamento financeiro. Depois da histórica classificação na Libertadores, o clube voltou a vencer o Palmeiras de forma categórica pelo Brasileiro, invertendo papéis com o clube paulista e assumindo o protagonismo no cenário futebolístico nacional.

Gerson agarrou a 8 e fez juz à ida para a Europa, dominando o meio campo com desarmes e passes precisos. A equipe de Jorge Jesus começou a partida pressionando na frente e chegou a levar um susto com um gol bem anulado em jogada de enfiada do Palmeiras, fato que se repetiu na partida, tanto as enfiadas quanto a anulação de um gol, mas a solução parecia bem treinada. O treinador português soube escolher uma fragilidade com a qual consegue lidar e trabalhar de forma simples: Linha de impedimento.
Em contraposição ao comum jogo de estacionar o ônibus adotado por diversos treinadores, visivelmente sensibilizados com as limitações técnicas que os clubes brasileiros costumam apresentar, o jogo de Jesus foi baseado principalmente em superar o adversário no seu campo, e quando não for possível, dobrar essa pressão no próprio campo e forçar as bolas longas ou o recuo, jogo ao qual o pouquíssimo criativo Palmeiras se rendeu ainda no primeiro tempo.

Escalado com 3 volantes e sem nenhum meia criativo, o Palmeiras vinha para um dos mais importantes jogos do ano sem qualquer perspectiva de armar jogadas com trocas de passes no campo do adversário. Pelo contrário, fez questão de entregar a bola ao Flamengo o tempo inteiro e tentar criar oportunidades com roubadas na intermediária adversária e contra golpes rápidos, que dificilmente funcionaram, principalmente quando as bolas eram lançadas em altura, consagrando Diego Alves e Pablo Marí.
Na defesa, o Palmeiras sofreu com o estilo de marcação à frente rubro-negro que após fazer o primeiro gol desta maneira, pouco fez questão de permanecer com o esforço. As chegadas pelas alas foram um problema, gerando um pênalti em Rafinha, convertido por Gabriel e diversos cruzamentos no segundo pau, um deles resultando em gol de Arrascaeta.
O Flamengo chegava a linha de fundo sem maiores problemas. Dominou o jogo com um volante escalado à frente da zaga e os laterais com liberdade para subir. Ganhava as divididas. Corria em todas as bolas. Com intensidade e qualidade. Anulou os principais nomes do Palmeiras. Envolveu o adversário.
Sem sentir a menor falta do recém negociado Cuellar, o torcedor carioca tem bons motivos para estar otimista antes do confronto pelas semis da libertadores.


Ocorrências:

1T 03’ Gol anulado - Matheus Fernandes (VAR)
1T 11’ Gol - Gabigol com passe de Arrascaeta
1T 35’ Pedalada - Gabigol contra Felipe Melo
1T 38’ Gol - Arrascaeta com cruzamento de Bruno Henrique
1T 48’ Gol anulado - Willian (VAR)
---------------------------------INTERVALO-------------------------------------

2T 13’ Pênalti - Diogo Barbosa em Rafinha
2T 15’ Gol - Gabigol
2T 37’ Expulsão - Gustavo Gomez por imprudência

Comentários