Pela Copa: River Plate e Flamengo se enfrentam em Lima na Final da Libertadores

Confira como os dois times chegam para o confronto e o panorama para a partida




No sábado (23) em Lima, capital do Peru, a bola vai rolar para a partida do ano na América do Sul. Às 17h, River Plate e Flamengo fazem a final da Copa CONMEBOL Santander Libertadores de 2019.

  • Prováveis escalações:
FLAMENGO: Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luís; Willian Arão e Gérson; Arrascaeta, Éverton Ribeiro e Bruno Henrique; Gabriel. Téc: Jorge Jesus.

RIVER PLATE: Armani; Pinola, Díaz e Quarta; Montiel e Casco; Enzo Péres, De la Cruz e Ignacio Fernández; Suárez e Borré. Téc: Gallardo.

  • Panorama esperado para o jogo:
De um lado, o time com mais vitórias na história da Libertadores comandado por um técnico histórico e considerado o grande responsável por revolucionar o River Plate e conduzir o time de volta às glórias após o rebaixamento da equipe para a 2º divisão da Argentina em 2011. De lá pra cá, o time argentino soma dois títulos da Libertadores (2015 e 2018), é o atual campeão. 

Do outro lado, uma máquina criada por Jorge Jesus que chega embalada para a sua primeira final de Libertadores em 38 anos. O Flamengo é atualmente o time a ser batido na América do Sul, inclusive colocado como o grande favorito para a conquista do título por grande parte da mídia Sulamericana e, sobretudo, pela brasileira. O Rubro-negro carioca não perde uma partida há quase 4 meses. 

A expectativa não podia ser melhor para o confronto. Trata-se de dois times de qualidade excelente e muito bem treinados. Jorge Jesus e Gallardo chegam com a pompa de serem os melhores comandantes do continente. Dessa forma, o Flamengo vem com a sua escalação costumeira: Um 4-4-2 com variações para o 4-2-3-1. A dúvida que girava em torno do aspecto físico do grande craque do time, o uruguaio De Arrascaeta, já não existe mais. O jogador está 100% e vai pro jogo. Espera-se que o Flamengo não fuja de sua postura. Agressividade, marcação intensa e posse de bola são marcas do time e devem aparecer na finalíssima. A preocupação fica por conta das costas de Rafinha e Filipe Luís, laterais veteranos que apoiam muito e deixam espaço, do suposto cansaço do "Coringa" Gérson e a instabilidade mental do artilheiro Gabigol. 

No que se refere a equipe do River Plate, há ainda uma indefinição sobre qual deve ser o time escalado por Gallardo para a grande final. Geralmente, a equipe de Buenos Aires joga em um 4-1-3-2. Contudo, devido a enorme força ofensiva do Flamengo, o treinador argentino vem treinando seu time com um 5-3-2 variando para um 3-5-2 com a posse da bola. A mudança seria promover o zagueiro Pablo Díaz de 25 anos e 1,80m na vaga de um dos meias Palacios ou De la Cruz com o objetivo de reforçar o sistema defensivo e o jogo aéreo, visto que o time brasileiro é um dos que mais marca gols de cabeça nas competições que disputa. A aposta é de que o River comece mesmo com 3 zagueiros, porém não é esperado um time muito reativo. A preocupação fica por conta da possível sobrecarga em cima de Enzo Péres, o único meia de real contenção no 4-1-3-2. Logo, esse seria outro grande motivo para a escolha de Gallardo pelo esquema com 3 defensores.

A promessa é de muita briga no meio de campo e muita velocidade nos contra golpes dos dois lados, um empate sem gols é inimaginável.  



Comentários

Postar um comentário