Como o Bayern conteve a velocidade do Borussia? - Análise compacta de Borussia Dortmund x Bayern de Munique

Em jogo de dois tempos distintos, equilíbrio e controle do Bayern sobressaem ao jogo de transição do BVB no clássico 




Foto/RCIA Araraquara

Válido pela 28ª rodada da Bundesliga, o Der Klassiker entre Borussia Dortmund e Bayern de Munique foi apontado como uma final antecipada do campeonato, visto que os dois postulantes ao título, separados por 4 pontos, se enfrentariam. Uma vitória do Bayern praticamente decidiria o título, ao passo que, em caso de vitória do Borussia, a disputa ficaria totalmente acirrada. Nesse sentido, após o apito final no Signal Iduna Park, o campeonato estava decidido...

ESCALAÇÕES INICIAIS

Fonte: BeSoccer

ANÁLISE TÁTICA

  • Espaços nos flancos de ambas as equipes
A primeira metade dos 45 minutos iniciais do clássico foi um show de transições. As duas equipes davam bastante espaço pelos lados. E nesse contexto, o BVB leva vantagem. A equipe de Favre fez 20-25 minutos ótimos, com domínio da posse, velocidade, verticalidade e criação de oportunidades. 

Veja o vídeo:


Como é de praxe, o Borussia foi bastante perigoso com as jogadas pelo lado direito. Com Brandt pelo meio, Hazard atacando a linha defensiva adversária do meio pra fora e Hakimi avançando corredor como ala, a equipe conseguiu produzir chances de perigo ao gol do Bayern. No lance em questão, até sai o gol, que é anulado por impedimento. 

Por outro lado, o Bayern também aproveitou as subidas da equipe de Dortmund para contra-atacar:


No vídeo acima, Coman ataca o espaço às costas de Raphael Guerreiro, aberto após a subida do lateral português. Com a linha quebrada, o atacante tem tempo para avançar e finalizar pra boa defesa de Roman Burki. Nesse momento, ambos os times apostavam nas transições para achar espaço nos sistemas defensivos bem montados.

  • Crescimento do Bayern e o brilhantismo de Kimmich
Do meio pro final da 1º etapa, o Bayern cresceu no jogo. Os Bávaros aproveitaram a queda gradual de intensidade da equipe da casa pra se impor na partida. Agora com mais posse, a equipe de Hansi Flick pôde ditar o ritmo do jogo, atacando de forma bem organizada, deixando menos espaços para contra-ataque e ocupando mais o campo de ataque. Essa última, é uma grande característica desse Bayern, e foi vital para o sucesso no clássico. 

O Bayern ocupa o campo ofensivo com todos os seus jogadores, encurralando o adversário em uma faixa de 15 a 20 metros de distância do próprio gol. O único gol de Kimmich foi um exemplo da funcionalidade de tal estratégia no clássico. Observe a imagem abaixo:


O BVB se posta num 5-4-1 com apenas Haaland mais avançado colado em Boateng. Dessa forma, o Bayern põe todos os seus jogadores no setor de criação e de finalização com os laterais Pavard e Davies na 2º linha com Kimmich. Para furar esse ferrolho, Goretzka, Müller e Coman dão suporte a Lewandowski por dentro, entre as linhas de marcação do Dortmund.

Veja a imagem seguinte:


Percebe-se os 3 jogadores, posicionados entre as linhas na imagem anterior, mais Kimmich muito próximos. Por conseguinte, a triangulação sai por dentro com Kimmich vindo de trás, Müller e Coman, que faz o pivô. A postura errada de marcação do alemão Julian Brandt, do Borussia, facilita que o volante do Bayern ache espaço e tenha tempo suficiente pra protagonizar um lance mágico. A seguir, veja o lance completo:


Faltou pegada dos marcadores do BVB, sobretudo Brandt, que foi lento demais para reagir e interceptar Kimmich. Contudo, o gol exemplifica a qualidade do Bayern com Flick. O time sabe como ocupar os espaços de forma eficiente, criando linhas de passe e pequenas superioridades posicionais no espaço curto. Eficiente e talentoso. Adjetivos que servem pra equipe como um todo, bem como pro excepcional Joshua Kimmich.

  • Queda brusca do Borussia e domínio do Bayern na etapa final
Com o placar desfavorável, Lucien Favre pôs Sancho e Enre Can nas vagas de Brandt e Piczszek. No entanto, as substituições não tiveram o efeito esperado, e o Borussia piorou. 

Sem a articulação de Brandt e com um Sancho ainda bem longe da forma ideal, a equipe de Dortmund teve dificuldades em construir jogadas de perigo, além de ter perdido um pouco da velocidade dos contra-golpes, algo potencializado após a saída de Haaland, que sentiu uma lesão. E assim, o Bayern pôde construir um caminho seguro pra vitória na partida.

Com a posse, os Bávaros continuaram propondo e controlando o jogo. Sufocando os aurinegros, que continuavam encurralados marcando em bloco baixo. Observe a imagem abaixo:


Em vista disso, o Bayern seguiu criando com a eficiência dos passes entre-linhas.


Assim como no lance do gol de Kimmich, o Bayern ocupa o campo de ataque com 10 jogadores. Alaba avança até o meio como um "volante" e conecta o passe entre as linhas de marcação do BVB com Goretzka, que aproveita a liberdade pra concluir em gol. Mesmo marcando com uma linha de 5 e uma de 4, o time de Favre não conseguiu conter a construção de jogadas dos rivais. 

Por fim, o Borussia tentou se lançar ao ataque na tentativa do empate, mas parou no paredão Manuel Neuer. Não que a equipe tenha criado grandes, saiu de campo sem ter gerado nenhuma, porém os chutes de meia distância que acertaram o alvo foram parados por boas defesas do goleiro Alemão. E os visitantes ainda poderiam ter ampliado o placar, caso a bola do belo chute de Lewandowski não tivesse parado na trave após belo contra-ataque.

Veja o vídeo:


Não que o Borussia tenha feito um jogo ruim, mas a oscilação entre um tempo e outro foi determinante. Algo que ocorre com muita raridade nos jogos do Bayern. O time de Hansi Flick é consistente e equilibrado do início ao fim. Regularidade dentro do jogo e através dos jogos, o que o fez com justiça ser o vencedor do clássico e o virtual campeão da Bundesliga pela 8ª vez consecutiva.

NÚMEROS DO JOGO


  • Imagens de autoria da FOXSports e editadas com Klip Draw.

Comentários