Flamengo sucumbe ao futuro campeão - Análise de Flamengo 0 x 3 Corinthians (Brasileirão 2015)

Transições rápidas desmancham defesa do Flamengo, e o Corinthians goleia o clube carioca em pleno Maracanã



Reprodução/GloboEsporte

Em um dos jogos fundamentais pro título que o time de Tite viria a conquistar no fim da temporada, o Corinthians foi ao Maracanã para enfrentar um Flamengo pressionado pelos resultados ruins no campeonato. O técnico era Cristóvão Borges e a equipe acabava de ganhar dois reforços de peso. O peruano Paolo Guerrero e o brasileiro Emerson Sheik, ambos ex Timão, embora os dois não terem jogado. A dupla só viria a estrear na outra semana. Diante de tudo isso, o clube paulista bateu o dono da casa sem maiores dificuldades...

ESCALAÇÕES INICIAIS















O JOGO

Em casa, o Flamengo foi pro jogo com um 4-3-3. Jonas, Cáceres e Canteros eram os responsáveis por fazer a ligação da defesa com o ataque, pelo menos em teoria. Na frente, um trio de velocidade composto por Éverton, Cirino e Gabriel. Do outro lado, o Corinthians apostou no habitual 4-1-4-1, esquema estimado por Tite, no qual ele costuma pôr um ponta de mais cadência e qualidade de passe (Jádson) de um lado, enquanto do outro um ponta veloz e driblador (Malcom).

Nesse contexto, o Flamengo iniciou a partida na tentativa de se impor diante do Corinthians, que por sua vez, procurava conter uma provável pressão inicial do rubro-negro no Maracanã. Observe a imagem abaixo:


Com o 4-1-4-1, o Corinthians fechava muito bem os espaços no meio. Por conta disso, o Flamengo teve dificuldade pra progredir no campo do clube paulista, uma vez que as linhas de passe por dentro eram bloqueadas pela primeira linha de 4 do time de Tite. 

Devido à forte marcação, os erros de passe do Flamengo se acumulavam já no início do jogo. E os do Corinthians também, pois o Flamengo não abria mão de fazer pressão na saída do Corinthians:


A estratégia de pressing do Flamengo, na imagem acima, consistia em estabelecer uma linha de 3 jogadores no meio, enquanto dois (o ponta e o meia do lado da bola) sobem para pressionar o portador da bola, bem como a sua opção de passe imediata. No entanto, essa tática deixava espaço pra criação de uma linha de passe entre esses dois jogadores que sobem pra pressionar, fazendo com que o Corinthians conseguisse progredir por esse lado, embora com um pouco de dificuldade.

Logo, já se podia perceber que o jogo seria definido por quem executasse a estratégia de marcação com mais êxito. Nesse sentido, os dois times tinham muita dificuldade em propor. O jogo, na maior parte do tempo, foi um grande "perde e ganha" com o Corinthians levando alguma vantagem. Afinal, o elenco do clube paulista era consideravelmente mais forte. E precisou de menos de meia hora de partida pra inferioridade técnica do Flamengo ser decisiva no jogo. 

Veja o vídeo:


O 1º gol do Corinthians no Maracanã surge de um erro de passe grotesco de Éverton, que atravessa a bola de bandeja para Jádson receber no centro. Por conta da jogada ser posterior à um escanteio pro clube carioca, o time inteiro estava no setor de ataque. Após o erro, o time de Tite teve mais de 70 metros, praticamente, livres pra executar a sua principal jogada: o contra-ataque. Assim, a equipe conseguiu coordenar perfeitamente a progressão rápida, o movimento de ruptura e o passe incisivo pra quebrar totalmente a defesa do Flamengo, deixando Love de cara pra marcar. No entanto, apesar de ele conseguir a proeza de errar a finalização, o gol saiu no rebote com Elias, que acompanhou a jogada até o final. 

1x0, e a partir daí, o Corinthians passou a dominar a partida.

Com a vantagem, a equipe de Tite começou a jogar com mais tranquilidade. Com efeito, dois dos aspectos chaves do modelo de jogo do técnico gaúcho funcionaram de maneira eficiente. A marcação por zona e o jogo apoiado. Observe a imagem e o vídeo:

  • Marcação por zona
  • Jogo apoiado

Em primeiro plano, o Corinthians se valia da marcação por zona para concentrar jogadores no setor da bola e construir uma zona de guerra bem compacta. Associado à isso, a proximidade permitia que os meias pudessem servir como apoios para os laterais e atacantes, favorecendo a troca de passes e o avanço do time no campo do adversário. 

Por estar atrás do placar, o nervosismo do Flamengo ia aumentando conforme o tempo de jogo ia transcorrendo. E os erros seguiram o mesmo ritmo. Logo, mais uma vez, um gol do Corinthians se originaria de um erro clube da Gávea. 

Veja o vídeo:


Dessa vez, o erro técnico na saída de bola provoca um chutão por parte da defesa do Flamengo, que o Corinthians aproveita ao ficar com a 2º bola e sair em transição ofensiva. Uendel é inteligente ao avançar no enorme espaço entre as linhas do Flamengo e, por conta disso, causar um pane no sistema defensivo do time da casa. No fim, o lateral esquerdo continua avançando nesse corredor central esquerdo de ataque pra finalizar dentro da área e marcar o 2º. 

O 1º tempo acaba com 2x0 no placar pros visitantes.

A etapa final começa da mesma forma. Dois times marcando forte. Pouca construção. Show de saídas pelo alto.

Veja o vídeo:


Contudo, o Flamengo retorna com mais apetite e ocupação do campo de ataque, o que gera a sua melhor chance no jogo com Marcelo Cirino.

Veja o vídeo:


Sim, a melhor chance do Flamengo em todo jogo foi em um chute de fora da área. Mesmo finalizando 14 vezes, essa foi a única em que o goleiro do Corinthians, nesse caso Walter (substituiu Cássio), precisou trabalhar efetivamente. 

Ainda assim, o Flamengo melhorou um pouco na construção das jogadas. Os chutões cederam um mísero espaço à saída trabalhada por passes curtos, mas a deficiência técnica retornava à evidência no insucesso da equipe no último terço do campo.

Veja o vídeo:


Foram curtos lapsos, mas o Flamengo tentou do jeito que pôde reduzir o placar. 

Após essa leve melhora no início, também associada à uma postura mais recuada do Corinthians, o rubro-negro foi perdendo o ímpeto. E o Corinthians, mais eficiente, se aproveitou disso pra construir o 3º e derradeiro gol, sacramentando a goleada no Maracanã. Observe o vídeo:


Nessa ocasião, o Corinthians construiu seu gol desde a base. Saída lateralizada com apoio dos meias por dentro e a inversão de corredor. No outro lado, progrediu com triangulações, e novamente, se aproveitou de erros individuais dos jogadores do Flamengo, agora na marcação, para chegar na área com superioridade fechar o caixão com um golaço de Jádson. 3x0 e jogo definido.

Nos minutos que se seguiram, a equipe de Itaquera se fechou totalmente. Jogando mais recuado, soube bloquear ainda mais os espaços no seu campo defensivo pra segurar quaisquer que fossem as alternativas de ataque do adversário. E ainda sobrou tempo pra uma bola na trave de Malcom.

Veja o vídeo:


No fim, o Corinthians foi o mais eficiente na marcação e no contra-ataque, e apesar dos 42% de posse e das 6 finalizações apenas, saiu do Maracanã com uma goleada e a 3ª colocação no Brasileirão, o qual viria a ser o campeão com 14 pontos de vantagem.

DADOS DO JOGO


Reprodução/SofaScoreAPP

Comentários