Sancho e o ataque rápido do BVB voltam ao seu melhor nível - Análise compacta de Padeborn x Borussia Dortmund

Apoiado na grande partida de Sancho, os aurinegros produziram uma boa perfomance após inoperância contra o Bayern

Foto: ESPN 

Pela 29ª rodada da Bundesliga, o Borussia Dortmund goleou o Padeborn por 6 a 1 fora de casa. Após ter praticamente perdido o título para o líder Bayern no confronto direto da rodada anterior, os aurinegros não demonstraram sinais de desânimo e voltaram a vencer no campeonato. Em jogo de tempos distintos, Sancho, enfim, deslanchou no retorno da parada ao comandar o setor de ataque com seu dinamismo. 

ESCALAÇÕES INICIAIS

Fonte: BeSoccer
ANÁLISE TÁTICA

  • Exploração do "lado fraco"
Após 45 minutos insossos, a estratégia do Borussia Dortmund conseguiu funcionar. A construção do 1º gol começa com Piszczek, o lateral de origem que atua como zagueiro na linha de 3 defensores do BVB. Nesse sentido, a saída de 3 libera os ofensivos alas Hakimi e Guerreiro pra avançar até a linha de meio, dando amplitude a abrindo o campo pra criar espaços. Com isso, Enre Can também avança pra dar apoio à Guerreiro no momento da inversão. Observe a imagem abaixo:


O Padeborn marca em um 4-4-2 sem bola. Sancho, Hazard e Brandt se aproximam e se concentram por dentro entre as duas linhas de 4 no setor de criação. Nesse sentido, Guerreiro tem muito espaço para progredir no lado oposto com Can próximo à ele também posicionado entre as linhas de marcação da equipe da casa. A inversão ocorre e o BVB chega ao seu 1º gol.

Veja o vídeo:


Após a inversão, a marcação do Padeborn flutua, mas o Borussia aproveita o espaço nos lados com Can infiltrando e fazendo a jogada que culmina no gol de Hazard. 

Contudo, algo parecido ocorre à favor do Padeborn no lance que gera um pênalti cometido pelo próprio Enre Can.


No vídeo acima, Guerreiro acompanha o atacante do Padeborn e centraliza, deixando um espaço muito grande, o qual não é coberto. Logo, a inversão pega a grande área do Borussia totalmente exposta. E é Enre Can quem retorna desesperado para fazer a cobertura, mas acaba bloqueando o chute com o braço e cometendo a penalidade para o Padeborn, que é convertido.

  •  Velocidade no rompimento da última linha, a importância dos alas no ataque e o show de Sancho
No Borussia de Favre, é comum que os 3 homens de frente troquem bastante de posição. Como o centroavante norueguês Haaland não jogou por conta de lesão, a equipe perdeu em referência e presença de área, mas ganhou ainda mais em mobilidade. 

O 1º gol de Sancho é um bom exemplo. Observe o vídeo abaixo:


Com a recuperação da posse, o BVB sai em transição ofensiva. Brandt e Sancho se posicionam entre os defensores pra romper a última linha em velocidade pós passe em profundidade. Guerreiro também se posiciona pra avançar. O passe vertical sai, Brandt ataca o espaço em velocidade, desmonta a linha defensiva do Padeborn e serve a Sancho, centralizado, que o acompanha pra marcar completamente livre.

Esse é um ponto de destaque e que se repetirá. Os jogadores aurinegros estão sempre tentando perfurar a linha defensiva em velocidade. Essa verticalidade tem sido mortal durante toda a Bundesliga. 

Por conseguinte, a construção do 2º gol da jovem estrela é quase idêntico:


A diferença é que, dessa vez, é o ala Guerreiro quem dá o passe em profundidade pro Hazard romper a linha defensiva. Há sempre alguma troca pra confundir o sistema defensivo do adversário. Se no gol anterior, era o Brandt quem estava na esquerda, nesse foi Hazard que apareceu por ali com Sancho novamente centralizado pra marcar um belo gol.

O Dortmund é muito bem organizado dentro da sua proposta de construção ofensiva voltada para o ataque rápido e vertical.

Observe a imagem com atenção:


Essa imagem é do lance que termina no gol do Sancho mostrado no vídeo anterior. O Borussia se posta em um 3-4-3, mas que se assemelha em maior grau com um 3-2-5 devido ao posicionamento dos alas Hakimi e Guerreiro, vitais no momento ofensivo. Dessa forma, a equipe de Lucien Favre produz constantes superioridades no setor de criação com 5 opções de passe em velocidade para atacar a última linha de marcação, além da proximidade entre os setores permitir a manutenção da posse até que seja possível encontrar esse espaço. Os 3 zagueiros dão sustentação, também, para o avanço dos volantes, que oferecem um apoio muito valioso pra fluência das jogadas ofensivas.

Não obstante, os alas são encarregados de acompanhar a jogada até o final, inclusive entrando com frequência na área pra finalizar. E a estratégia deu resultado nesse jogo.

Veja o vídeo: 


Mais uma vez, Hazard quebrando a última linha do Padeborn. Agora, após tabelar com Sancho por dentro. No entanto, ele perde a bola. Quem recupera? Schmelzer. O lateral alemão que, à essa altura, já havia entrado na vaga de Raphael Guerreiro. Logo, é o ala esquedo que faz a pressão imediata após a perda da posse, recupera a bola e serve ao ala do lado oposto pra fazer mais um tento. 

Um ala dando uma assistência pro outro marcar, ambos dentro da área adversária.

E não acabou, teve gol do Schmelzer.

Veja o vídeo:


O lateral alemão percebe o espaço e o agride como um centroavante pra deixar o seu na goleada. É impressionante como participam dos gols os alas do Borussia. Seja dando assistência, um passe que gera uma assistência ou marcando. São peças fundamentais na engrenagem da equipe.

  • Por fim, o bom e velho contra-ataque:


2 vs 1 e a finalização certeira de Sancho pra fechar o atropelo fora de casa. 6 a 1 e uma ótima atuação na etapa final. Mais do que o placar elástico, fica o retorno de Sancho ao seu grande nível, o que é fundamental pra continuidade do Borussia Dortmund nessa reta final de temporada.


Comentários