Velocidade de Richarlison é destaque no clássico - Análise compacta de Everton x Liverpool

Equipe de Carlo Ancelotti adia a conquista do maior rival em jogo brigado e com grande atuação de brasileiros

Foto/GloboEsporte

Válido pela 30ª rodada da Premier League, o campeonato inglês, o Merseyside Derby marcou o retorno das duas equipes aos gramados após a parada por conta da pandemia do coronavírus. Na liderança isolada da competição, o Liverpool vive um momento de ansiedade e expectativa para a definição da conquista que não vêm há 30 anos. No entanto, o Everton não pareceu muito disposto a ver o rival se aproximar ainda mais da taça.

ESCALAÇÕES INICIAIS

Imagem: BeSoccer

ANÁLISE TÁTICA

O atual melhor time do mundo voltou da parada com modificações devido ao longo tempo de inatividade. Salah, Robertson e Wijnaldum não começaram jogando, o 2º não foi nem relacionado pra partida. Porém, o esquema foi mantido. Klopp pôs o habitual 4-3-3, com Minamino, Keita e Milner.


No lado do Everton, Ancelotti poupou o camisa 10 Sigurdsson, e entrou com duas linhas de 4, sendo Richarlison e Calvert-Lewin os dois atacantes do 4-4-2 montado pelo treinador italiano para o Derby no Goodison Park. Observe as imagens a seguir:


O sistema escolhido pelo técnico do Everton visava dar amplitude pro sistema defensivo, na tentativa de barrar as tão perigosas subidas dos laterais dos Reds, sobretudo de Trent Alexander Arnold. O lateral inglês é o 2º líder de assistências da Premier League com 12 passes pra gol, ficando atrás apenas do meia Kevin De Bruyne (16).

E deu resultado. O Liverpool teve muita dificuldade para construir o jogo pelos lados, e os cruzamentos não tiveram efeito. Não obstante, o Everton conseguiu estar sempre bem compactado na marcação, o que também dificultou o trabalho de Roberto Firmino no setor de criação.

  • As transições rápidas com Richarlison
Mesmo em casa, o Everton adotou uma postura bastante reativa durante a partida. O time marcava em bloco médio e baixo na maior parte do tempo, deixando a posse da bola com Liverpool que terminou o jogo atingindo 71% do tempo de jogo com a bola. Contudo, a estratégia funcionou. Não o suficiente pra vencer o clássico, mas foi efetiva na contenção da criação do time de Jurgen Klopp. Os 71% de posse de bola não foram o bastante para a equipe conseguir criar chances de marcar.

Por outro lado, os 29% do Everton foram bem mais perigosos, principalmente, por causa da ótima partida que fez o atacante Richarlison. Dentro da proposta de sair de forma direta e em velocidade, o brasileiro foi fundamental para atacar o espaço nas costas dos defensores dos Reds. 

Veja o vídeo:


 Procurando essa diagonal em direção ao espaço nas costas dos laterais do Liverpool, Richarlison foi a grande válvula de escape da equipe mandante. Ao ter a posse, os jogadores rapidamente o procuravam para lança-lo em velocidade. Essa estratégia de bola transferida com o atacante produziu 6 das 8 finalizações do Everton no jogo.

Veja o vídeo:


  • Mapa de calor de Richarlison no jogo entre Everton x Liverpool:
Fonte: SofaScore

Calvert-Lewin também foi acionado dentro da estratégia das ligações diretas de Ancelotti, mas por ser menos veloz, não foi tão eficiente. Com efeito, as jogadas seguiram focadas no brasileiro. Caindo pelos dois lados do campo, concentrado na maior parte, entretanto, no lado direito, o atacante do Everton foi inteligente na leitura dos espaços. Além disso, venceu muitos duelos com o drible. 

Como mencionado anteriormente, 6 das 8 finalizações do time vieram dos pés de Richarlison. Mais precisamente, foram 5 finalizações...


... e 1 assistência pra finalização:


Ainda que possuindo bem menos a posse, o Everton foi superior no clássico contra o líder, já que foi quem conseguiu construir as melhores chances de marcar, inclusive com essa bola na trave. O time de Carlo Ancelotti soube usar muito bem algumas características do Liverpool, como a a redução do campo, a marcação em linha alta e a pressão pós perda, à seu favor, gerando muito perigo nas investidas em velocidade.

De forma concomitante, por fim, o goleiro Alisson também fez grande partida. Em alguns dos vídeos colocados acima, o arqueiro brasileiro faz ótimas e decisivas defesas. Mais uma vez, mostra o porquê de ter tanta estima de Jurgen Klopp. Passa muita segurança. Não à toa, o time passou maus bocados enquanto ele esteve fora por lesão.

Se Richarlison foi quem mais fez para tirar o 0 do placar, Alisson foi quem mais fez para mantê-lo. Dois ótimos jogadores da seleção brasileira.

  • Números do goleiro Alisson na partida:

Fonte: SofaScore

Comentários

  1. Como Vinícius junior no Real, Richarlison tem sido uma válvula de escape muito importante para as suas equipes.

    ResponderExcluir

Postar um comentário